quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Exposição apresenta fotos atuais com estilo anos 70s


Leonardo Coleto

Eduardo Macarios/Divulgação
Como na década de 70, a ideia era registrar flagrantes do dia a dia de pessoas comuns.

A partir de hoje, frequentadores do Quintana Café & Restaurante poderão prestigiar uma exposição fotográfica que promete fazer uma viagem no tempo, mas de maneira atual.

Trata-se da exposição Andantes, do jornalista e fotógrafo Eduardo Macarios. Nas dezesseis fotos que estão sendo expostas em seu trabalho, o jornalista utilizou uma máquina fotográfica da década de 1970 para retratar imagens atuais, mas utilizando como base o trabalho de grandes fotógrafos da época, como Henri Cartier Bresson, William Klein e Robert Frank.

Na exposição - homônima de um livro, lançado em 2009, onde Macarios apresenta 80 fotos desse estilo -, o jornalista faz com que o público reconheça a arte que está sendo esquecida.

“Tento resgatar esse negócio da fotografia em preto e branco, já que ela caiu em desuso por causa da grande utilização das máquinas digitais. Ainda é possível fazermos fotos como aquelas que eram feitas em 1970, inclusive mantendo suas características”, avalia.

Para chegar a esse objetivo, foi preciso correr atrás de uma boa câmera fotográfica dos anos 70s. “Foi uma tarefa difícil conseguir uma máquina ideal e que fosse daquela época. Comprei três modelos pela internet até chegar à Canon Canonet 28, máquina muito utilizada naquela época e que foi essencial na produção das fotos que estão em exposição”, diz.

Após testar a máquina, Macarios confirmou que o resultado das fotos ficava muito parecido com as imagens capturadas por Henri Cartier Bresson, William Klein e Robert Frank, fotógrafos daquela época.

“Portanto, comecei a tirar as fotografias seguindo a linha deles, mas passando para o meu estilo e para a atualidade. Eles fotografavam na rua, com máquinas pequenas pegando flagras das pessoas andando, trabalhando, atravessando a rua, enfim. Eles colocavam a máquina para trabalhar na frente das pessoas sem que elas percebessem”, conta.

Marcas, carros e itens estéticos são as principais diferenças das imagens atuais de Macarios se comparadas com as antigas. “Em algumas fotos, ao em vez de vermos aqueles operários trabalhando com macacões, por exemplo, vemos operários com roupas de marca, cartazes com propaganda de políticos, veículos modernos. É como uma versão atualizada das fotografias das décadas de 60 e 70”, descreve.

Dentre as 16 fotos que estão sendo expostas, Macarios destaca Italiano na Praça Duomo em Milão, Itália, como a mais interessante. “As fotos que eu mais gosto são aquelas em que estou mais perto das pessoas. Nessa foto foi o que aconteceu. Tirei apenas três fotos para chegar nela. O mais incrível é que o homem que aparece na imagem não percebeu que eu capturei as imagens dele, mesmo estando a menos de um metro. Essa é a essência de meu trabalho”, diz. Além de estar na exposição, essa foto também faz parte do livro do jornalista.

Serviço

A exposição fotográfica Andante, de Eduardo Macarios, poderá ser vista hoje, a partir das 19h30, no Quintana Café & Restaurante (Avenida Batel, 1.440, em Curitiba). As imagens ficarão disponíveis no local até dia 5 de março. Mais informações pelo site www.quintanacafe.com.br ou pelo telefone (41) 3078-6044.

Eduardo Macarios/Divulgação
Proximidade: “Italiano na Praça Duomo em Milão, Itália” mostra a essência do trabalho do jornalista.


Fonte: Paranaonline

Um comentário:

Aglaé disse...

_imperdível!
[maravilha ter postado isso]